Quais são as principais faculdades do Brasil que aceitam o SISU?

Você sabia que além do tradicional vestibular, você pode ingressar em uma universidade ou Instituto Federal de Educação com a sua nota do Enem? Esse ingresso acontece por causa do SiSU. E é sobre ele que nós vamos falar hoje! Então, se você quer saber o que é sisu, quais faculdades aceitam a nota do Enem, quem pode se inscrever no sisu, se quem já é graduado pode fazer sisu ou quem se inscreve no sisu pode se inscrever no prouni, continue lendo esse texto que o Blog Só Educação preparou para te ajudar. 

O que é sisu? 

Primeiramente, é essencial saber o que significa sisu. A sigla Sisu significa Sistema de Seleção Unificada. 

Ele se trata de um sistema informatizado, criado pelo Ministério da Educação (MEC), usado para que as instituições públicas de ensino superior possam oferecer vagas para candidatos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (o Enem). 

Em resumo, os candidatos com melhor classificação são selecionados, de acordo com suas notas no exame. 

Vale ressaltar que quem está inscrito ou te uma bolsa do Prouni pode se inscrever no SiSU. Porém, os estudantes contemplados pelo Prouni não podem estar estudando em uma instituição pública. Então, é necessário escolher em qual programa deseja continuar.

E a boa notícia é que quem já tem uma graduação pode se inscrever no SiSU, basta participar do Enem.

O SiSU para cursos a distância

Desde o segundo semestre de 2020, em uma decisão inédita, o Ministério da Educação (MEC) liberou a oferta de vagas no sisu para cursos superiores na modalidade a distância.

Então, a oferta de vagas a distância pelo Sisu foi oficializada pelo governo federal por meio da portaria nº 493, de 22 de maio de 2020, e passou a valer para a seleção de 2020/2.

Quem pode se inscrever?

Agora que você já sabe o que é o sisu e como funciona, precisa saber quem pode se inscrever no programa.

Podem participar e realizar a inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), apenas os estudantes que participaram da última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), e tiveram nota na redação maior que zero e não tenham participado na condição de treineiros.

Vale ressaltar que na  inscrição, o aluno seleciona duas opções de curso (que podem ser de áreas e instituições diferentes). Além disso, a disputa de vagas é feita com a nota de corte do curso naquela instituição, assim os candidatos concorrem apenas com determinado grupo. 

O que é nota de corte?

Por fim, vamos falar sobre o que significa nota de corte no sisu. Como já foi mencionado, os alunos são selecionados de acordo com o desempenho obtido no Enem. Então, a nota de corte representa a pontuação mínima que um estudante precisa ter para garantir sua vaga no curso desejado. 

Vale destacar também que a nota de corte é calculada automaticamente, uma vez por dia. Esse cálculo é feito com base no número de vagas existentes e na quantidade de candidatos interessados que concorrem àquela vaga, naquela modalidade de concorrência específica. Ou seja, o sistema do sisu verifica a nota do Enem de todos os candidatos que concorrem a uma vaga naquele curso específico, naquela modalidade de concorrência e mostra qual seria a nota mínima para esse aluno conseguir se classificar para uma das vagas.

Quais universidades aceitam o SiSU? 

Essa é uma das informações mais importantes que você precisa ter: quais são as universidades participantes do SISU. Assim, pode fazer a sua escolha por região, ou por afinidade com a instituição. 

Então, confira abaixo a lista de  faculdade que aceitam sisu: 

Universidades em que todas as vagas são pelo SiSU: 

  • Universidade Federal de Goiás (UFG);
  • Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD);
  • Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT);
  • Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS);
  • Universidade do Estado do Mato Grosso (Unemat);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG);
  • Instituto Federal do Mato Grosso do Sul (IFMS).
  • Universidades em que todas as vagas são pelo Sisu
  • Universidade Federal do Acre (UFAC);
  • Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa);
  • Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA);
  • Universidade Federal do Tocantins (UFT);
  • Instituto Federal do Acre (IFAC);
  • Instituto Federal do Amapá (IFAP);
  • Instituto Federal do Pará (IFPA);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM);
  • Universidade Federal de Roraima (UFRR).
  • Universidade Federal de Alagoas (UFAL);
  • Universidade Federal da Bahia (UFBA);
  • Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB);
  • Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB);
  • Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB);
  • Universidade Federal do Ceará (UFC);
  • Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro–Brasileira (Unilab);
  • Universidade Federal da Paraíba (UFPB);
  • Universidade Federal de Campina Grande (UFCG);
  • Universidade Federal do Maranhão (UFMA);
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE);
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE);
  • Universidade Federal de São Francisco (Univasf);
  • Universidade Federal do Piauí (UFPI);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN);
  • Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa);
  • Universidade Federal de Sergipe (UFS);
  • Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC);
  • Universidade Estadual da Paraíba (UEPB);
  • Universidade Estadual do Piauí (UESPI);
  • Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN);
  • Instituto Federal de Alagoas (IFAL);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IF Baiano);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (IFPI);
  • Universidade do Estado da Bahia (UNEB).
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR);
  • Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila);
  • Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA);
  • Universidade Federal de Santa Maria (UFSM);
  • Universidade Federal de Pelotas (UFPel);
  • Universidade Federal do Rio Grande (FURG);
  • Universidade Federal do Pampa (Unipampa);
  • Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS);
  • Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS);
  • Instituto Federal do Paraná (IFPR);
  • Instituto Federal Farroupilha (IF-Farroupilha);
  • Instituto Federal Catarinense (IFC).
  • Universidade Federal do Espírito Santo (UFES);
  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG);
  • Universidade Federal de Alfenas (Unifal);
  • Universidade Federal de Itajubá (Unifei);
  • Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP);
  • Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ);
  • Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM);
  • Universidade Federal de Uberlândia (UFU);
  • Universidade Federal de Viçosa (UFV);
  • Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio);
  • Universidade Federal Fluminense (UFF);
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ);
  • Universidade Federal do ABC (UFABC);
  • Universidade Federal de São Carlos (UFSCar);
  • Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF);
  • Instituto Federal do Espírito Santo (IFES);
  • Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM);
  • Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG);
  • Instituto Federal de São Paulo (IFSP);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ);
  • Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio de Janeiro (Cefet-RJ);
  • Universidade Estadual da Zona Oeste (UEZO).

Universidades que destinam apenas uma porcentagem de suas vagas ao Sisu

  • Instituto Federal Goiano (IF Goiano): 30%;
  • Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS): 30%;
  • Instituto Federal do Mato Grosso (IFMT): 50%.
  • Universidade Federal do Amazonas (UFAM): 50%;
  • Universidade Federal do Amapá (Unifap): 50%;
  • Universidade Federal do Pará (UFPA): 20%;
  • Instituto Federal do Tocantins (IFTO): parte das vagas;
  • Instituto Federal de Rondônia (IFRO): 50%;
  • Instituto Federal de Roraima (IFRR) 50%;
  • Universidades que destinam apenas uma porcentagem de suas vagas ao SiSU
  • Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB): 50%;
  • Universidade do Estado do Ceará (UECE): 25%;
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA): 60%;
  • Instituto Federal de Pernambuco (IFPE): apenas vagas do segundo semestre;
  • Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN): a porcentagem exata final não foi informada;
  • Instituto Federal de Sergipe (IFS): 50%;
  • Universidade de Pernambuco (UPE): 50%.
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR): 30%;
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS): 30%;
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC): 30%;
  • Universidade Estadual de Londrina (UEL): 17,5%;
  • Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP): entre 10 e 36%;
  • Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste): 50%;
  • Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc): 25%;
  • Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS): 50%;
  • Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC): 50%;
  • Instituto Federal Sul-rio-Grandense (IFSul): 50%.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF): 70%;
  • Universidade Federal de Lavras (UFLA): 60%;
  • Universidade Federal dos Vales Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM): 50%;
  • Universidade Federal de São Paulo (Unifesp): apenas alguns cursos;
  • Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG): 50%;
  • Instituto Federal Sudeste de Minas Gerais (IF SudesteMG): 50%;
  • Instituto Federal do Sul de Minas Gerais (IF Sul de Minas): 50%;
  • Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG): 50%;
  • Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG): a porcentagem exata final não foi informada;
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFF): a porcentagem não foi informada.

Deixe seu Comentário